Em papo sincero, streamer Dani Feitosa fala sobre haters, Step Team e grande sonho no poker

André Akkari, Lauriê Tournier e Caio Brás são as inspirações da jogadora no poker

Postado por Átala Souza - www.mundopoker.com.br

Em 2018, quando Daniele Feitosa, mais conhecida como Dani, decidiu trocar a engenharia civil pelo poker e ainda se arriscar no papel de streamer, ela já tinha uma noção do que estaria para enfrentar com a exposição na Internet e persistiu na decisão para se desafiar e se desenvolver mais no jogo.


Mas mesmo com a preparação, a jogadora admite que ainda fica surpreendida com alguns comentários maldosos durante seus streamers. “Chegam pessoas que se sentem no direito de falar qualquer coisa do canal independente do que você está fazendo, se você tá nervosa ou não. Essa é a parte mais complicada”, contou a integrante do Step Team.


Dani Feitosa sentiu na pele o ódio dos haters principalmente após uma jogada transmitida na Twitch. “Eu acabei dando call pré-flop, segui até o river e foldei um super valor no river. ‘se é para fazer essa m**** no river não tem nem que pagar no flop’. Isso é muito pesado, e, às vezes, é o jeito que a pessoa fala, e eu ali no auge do meu nervosismo. A forma como a gente recebe esse tipo de mensagem é diferente”, disse mesmo só sabendo da repercussão depois do torneio por terceiros.


Inclusive a streamer contou que chegou a pensar estar sofrendo com os comentários maldosos por ser mulher, mas começou a acompanhar outros canais e percebeu que as atitudes nos chats eram unânimes. “Eu nunca recebi nenhuma ofensa por eu ser mulher ou por esse motivo porque  vejo que as piadas fazem com todo mundo”, declarou.


Apesar do lado ruim, a jogadora também conta com apoio de seguidores durante a streaming. “Eu tento dar ouvido ali só para as pessoas que eu realmente sei que estão ali torcendo para o meu melhor”, falou. E para os haters que a discrimina, o recado é claro: “Simplesmente para eles focarem no jogo deles e usar o canal da Twitch para aprender, e não para desmotivar outras pessoas”, afirmou.


Início da carreira

O canal da jogadora na Twitch é danifeit. Ela te quase 2.500 seguidores (Foto: Reprodução Instagram)

Para quem não sabe, Dani começou a praticar o esporte da mente com o apoio do marido e com pouco tempo ganhou um curso avançado do André Akkari por meio de um concurso no Twitter. “Eu acabei ganhando esse curso que foi a primeira turma do curso avançado Inagame que ele lançou. Fiz o curso avançado mesmo sem saber fazer nada, eu sabia só as regras”, revelou.

“Eu vi que era uma coisa que eu realmente gostava de fazer. O meu primeiro troféu num clube, consegui três meses depois que comecei a jogar. No primeiro trimestre de 2019, eu já ganhei um ranking”, Dani Feitosa

Dali por diante, a integrante do Step Team não parou mais colocando em prática o que estava aprendendo. “Eu comecei a fazer o curso e para poder praticar, eu ia para os clubes com o meu marido. Comecei ir bastante em clube de poker na nossa região. Na cidade que eu moro não tem clube então eu ia para as cidades vizinhas”, disse a moradora de Itatiba (SP).


Com dedicação e curiosidade, a player conseguiu o primeiro resultado importante com pouco tempo de prática. “Eu vi que era uma coisa que eu realmente gostava de fazer. O meu primeiro troféu num clube, consegui três meses depois que comecei a jogar. No primeiro trimestre de 2019, eu já ganhei um ranking”, relembrou.


Depois dos resultados importantes, a estudante de poker fez um tour com o marido em alguns clubes de poker nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Goiás e Mato Grosso. Na volta do tour, o casal aproveitou para marcar presença no BSOP Rio Quente de 2019. “Foi a consagração da tour eu ter conseguido cravar o Ladies e acho que esse foi o momento mais importante do live, foi muito bom”, contou.


Logo depois do título de campeã do Ladies, Dani Feitosa ainda viveu outro momento memorável ao ser convidada para fazer parte do Step Team. “Eu aceitei muito feliz porque eu não tinha os pré-requisitos básicos para entrar num time porque eu só jogava live. Para mim foi muito importante, eu sabia que o Step Team era um time muito forte, com pessoas de muito conhecimento que poderiam me ajudar a evoluir mais rápido”, falou.


Além desses dois acontecimento importantes, Dani contou ao Mundo Poker sobre o momento mais marcante vivido no online quando já tinha criado o seu canal na Twitch. “Era o auge do meu ferro, eu estava no make-up gigantesco no time e  jogava só até o buy-in de R$ 2.20, eu jogava bem micro. Eu estava ferrada. Decidi a fazer live para ter uma disciplina maior. Logo na primeira semana, eu cravei dois torneios no mesmo dia”, lembrou a grinder que disse ter sido uma semana essencial para continuar no esporte.


O futuro

André Akkari é uma das inspirações da streamer no poker (Foto: Reprodução Instagram)


Olhando para o futuro, Dani Feitosa se inspira em algumas personalidades do poker nacional para alcançar seus objetivos. Entre eles estão Lauriê Tournier, André Akkari e Caio Brás. 

“Não posso deixar de falar porque é uma referência do poker e no mundo dos e-sports. Ele transformou a carreira dele em algo muito maior, é um exemplo de jogador e de empresário. Não tem como não se inspirar na carreira dele”, Dani Feitosa

“Hoje dentro do esporte, eu admiro muito a Lauriê falando como jogadora e streamer. Ela foi praticamente a pioneira como mulher fazendo live. Ela é uma pessoa muito serena, dedicada, joga limites muito altos e dá a cara à tapa streamando”, disse.


Já para André Akkari que foi importante para a jogadora a desenvolver mais habilidades no esporte da mente, ela disse o seguinte. “Não posso deixar de falar porque é uma referência do poker e no mundo dos e-sports. Ele transformou a carreira dele em algo muito maior, é um exemplo de jogador e de empresário. Não tem como não se inspirar na carreira dele”, contou.


Além dos dois, Dani fez questão de citar um amigo que o poker lhe deu, o Caio Brás. “Ele se tornou um jogador que eu realmente me inspiro pela dedicação e por ter esse bom coração de compartilhar as coisas que ele aprendeu com a gente”, revelou.


É claro que como qualquer jogador de poker, Dani Feitosa sonha em ganhar um bracelete da WSOP, mas existe algo que supera o valor desse prêmio para a streamer. “O meu maior sonho é ter bons resultados para que meus pais se orgulhem do que escolhi para minha vida. Ganhar o reconhecimento das pessoas que a gente ama não tem preço, não tem dinheiro que pague”, disse.


Com certeza com toda a dedicação e paixão pelo esporte, Dani vai conseguir realizar seus sonhos e o Mundo Poker estará sempre à disposição para contar as conquistas dos profissionais do esporte.

4 visualizações
  • Facebook Social Icon
  • Instagram

© 2020 The Deck Poker Club. Todos os direitos reservados.

The Deck Poker Club - CNPJ: 20.222.226/0001-44

Rua Dr. Delfim Rennó Moreira, 110 - Jardim Santo Antônio

Santa Rita do Sapucaí, MG, CEP 37540-000

O The Deck Poker Club reserva-se no direito de cancelar, suspender ou modificar a qualquer momento, sem aviso prévio ou qualquer outra condição, conteúdos, eventos, programações e promoções apresentados no site.

WPPCALOPSITA.png